Aplicativo Gremistas
Baixe grátis na Play Store VER

Em entrevista, Renato abre o jogo sobre Neymar, gays, futebol feminino e política

Autor: Gremistas   •   08 de julho/2019    •       •   

Em entrevista, Renato abre o jogo sobre Neymar, gays, futebol feminino e política
Lucas Uebel/Grêmio
Em uma forte entrevista à Folha de S. Paulo, o técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, abriu o jogo sobre diversos temas importantes e não se omitiu de falar de Neymar, homossexualismo no futebol, futebol feminino e até Jair Bolsonaro.

Confira:

Neymar: "Não tenho dúvida alguma que é inocente. Pô, ele não precisava fazer aquilo que ela fala que ele fez. Quem entende do babado, vê que alguém está querendo se dar bem na história. O erro dele está aí: tive a idade dele, mas nunca precisei trazer uma mulher de outro país".

Gays no futebol: “O que eu acho é o seguinte: se tem um gay na música é normal, se tem um gay ator é normal, se tem um gay em qualquer outra profissão é normal. Mas se tem um gay no futebol, vira notícia mundial. Por quê? Não entendo isso. Se eu tiver um gay, quero que ele jogue”.

Futebol feminino: “Tem espaço para crescer, mas vai depender delas. Achei o nível até bom, mas elas vão ter que remar muito. Tem muito preconceito ainda. O que as meninas, com todo respeito, não podem fazer de maneira alguma, é se comparar aos homens. Isso nem daqui a dois séculos. Adoro a Marta, é a melhor jogadora do mundo, mas não existe ela falar que só vai usar tal chuteira se pagarem como a um jogador".

Bolsonaro: “Votei nele. É meu presidente. O Bolsonaro e o Sergio Moro são pessoas do bem que querem o bem do Brasil. Na minha opinião, quem é contra esses caras é contra o crescimento do Brasil".
 





VEJA TAMBÉM:
> Pedro Geromel terá seu nome na calçada da fama do Grêmio
> Ainda sem atuar pelo Al-Ittihad, Marcelo Grohe pode retornar ao futebol brasileiro, diz repórter
> Em busca da titularidade, Pepê se torna vice-artilheiro do Grêmio no ano


Comentários