Ir para o conteúdo principal
Futfanatics Gremistas

Maicon relembra chegada no Grêmio: “Disseram que eu não teria sucesso”

Maicon do Grêmio, volante do Grêmio

Maicon em campo pelo Grêmio — Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O capitão mais vitorioso da história do Grêmio está prestes a completar, em 2020, cinco anos de Porto Alegre. Trajetória marcada por títulos e grandes momentos, que fazem Maicon recordar que foi necessário driblar alguns obstáculos para chegar no nível de reconhecimento que hoje possui.

“Quando eu saí do São Paulo disseram que não teria sucesso aqui, porque meu estilo de jogo era diferente do estilo do Grêmio”, recordou antes de completar: “O futebol mudou, evoluiu e o Grêmio acompanhou. Hoje pode trazer jogadores com outras características que não perdem sua essência em um clube vitorioso. No nosso grupo, os jogadores se completam e esse é o segredo”.

Maicon chegou no Grêmio aos 29 anos e, de lá para cá, participou de 190 partidas, marcando 11 gols. Além disso, conquistou seis títulos na era mais vencedora do clube no século XXI, feitos que geraram o convite para colocar os pés na calçada da fama. Mesmo com o tempo passando, o volante se sente forte para seguir em campo contribuindo e garante que, apesar das lesões, ainda pode ser peça importante para o técnico Renato.

“Só vou jogar se tiver condições de ajudar, até porque respeito o presidente e o clube. Jamais vou ficar aqui para atrapalhar, jogando somente no nome”, afirmou.

Com contrato até dezembro de 2021, o objetivo de Maicon é ter condições de manter o alto nível. Aposentadoria é um debate recorrente, porém sem nenhum plano estipulado. Segundo o atleta, o exemplo de amigos do futebol gera muitas reflexões sobre o que fazer no futuro próximo, mesmo estando garantido no Tricolor nos próximos anos.

“Tenho vários amigos na mesma faixa etária que estão encontrando dificuldades para jogar. Dificuldades até para arrumar um clube. Uns já pararam de jogar, outros saíram de clubes de ponta para atuar em clubes de meio de tabela. A gente conversa muito sobre isso, de como será a vida depois de deixar o futebol. Procuro não planejar nada. Vou vivendo o momento. Meu objetivo é jogar até o final do meu contrato”, concluiu.

Veja mais

Comentários