Ir para o conteúdo principal
Futfanatics Gremistas

Anúncio de novo dirigente antes de contratar treinador faz parte de um novo conceito do Grêmio

Presidente Romildo Bolzan Júnior tenta quebrar hierarquia estabelecida por Renato nos últimos anos.

Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O presidente Romildo Bolzan deixou claro após a vitória do Grêmio sobre o Novo Hamburgo, no último domingo, que o novo treinador só virá depois da formação do departamento de futebol.

E por trás destas palavras está um conceito que foi estabelecido pelo mandatário para que o organograma volte a funcionar corretamente com a nova comissão técnica. Ou seja, o próximo técnico se reportará ao vice-presidente de futebol e não mais com o líder máximo do clube.

A relação de Romildo com Renato foi construída por laços de amizade e confiança, fazendo com que o canal de comunicação do técnico com o presidente fosse estreitado. Tal relação acabou deixando de lado o elo hierárquico do treinador com os dirigentes do departamento de futebol, que foram frequentemente trocados com o passar dos anos. A leitura, feita internamente, é que a falta de influência do departamento na comissão técnica sobrecarregou o mandatário e deu mais liberdade e poderes a Portaluppi em Porto Alegre.

“O Grêmio vai tratar primeiro da questão política. Depois vai tratar com o novo vice de futebol a questão do treinador”, alertou Bolzan na entrevista.

O presidente Romildo quer que o departamento estabeleça as suas conexões com o novo comandante do time, justamente para que ao chegar em Porto Alegre o profissional se reporte ao vice de futebol e os diretores, quebrando os canais de comunicação que foram estabelecidos nos últimos anos com o alto comando. Isso não significa que Bolzan se desligará dos assuntos do futebol, mas, sim, que o mandatário quer dar mais espaço aos dirigentes da principal pasta do Grêmio.

“Quem apresentará o novo técnico será o vice de futebol”, comunicou o presidente.

O nome favorito para assumir o cargo mais alto do departamento de futebol do clube é Marcos Hermann. Contudo, o dirigente recusou o primeiro convite alegando questões particulares. Romildo tenta persuadi-lo.

Veja mais em Diretoria do Grêmio.

Comentários