Ir para o conteúdo principal
Futfanatics Gremistas

Especialista em marketing e finanças destaca gestão do Grêmio: “É o melhor modelo de fora do eixo Rio-São Paulo”

Gestão do tricolor é vista com bons olhos por especialistas de mercado

Reunião do conselho do Grêmio — Lucas Uebel / Grêmio FBPA

A gestão fora de campo do Grêmio no que diz respeito às finanças segue sendo bastante elogiada pelo Brasil inteiro. Em entrevista ao Lance!, o especialista em marketing e gestão esportiva Amir Somoggi colocou o tricolor como o melhor exemplo de modelo de trabalho fora do eixo Rio-São Paulo.

Os números, de fato, seguem favoráveis. Com quatro anos seguidos de superávit, o Grêmio abriu o primeiro trimestre de 2020 também no azul, com R$ 11,8 milhões superavitários de janeiro a março.

“Mesmo com uma receita não tão alta, o Grêmio está mantendo um equilíbrio orçamentário, acumulando mais de R$ 100 milhões em um quatro anos. E o fato da maior parte das divisas ser usada para o Profut dará ao clube mais chance de investir futuramente em jogadores de maior qualidade”, opinou.

Aos olhos de Sommogi, o Grêmio já é referência em termos de gestão e administração extracampo:

“É o melhor modelo de fora do eixo Rio-São Paulo. Ideal para clubes que têm dificuldade de projeção nacional e são mais regionais. Pesa a favor do Grêmio o fato de, no Rio Grande do Sul, não ter jovens que torcem para clubes europeus. A paixão é muito da família, trabalho de base. O Grêmio vem conseguindo bons resultados e não está dependendo mais das transferências, ao contrário do Internacional”, acrescentou.

No último demonstrativo financeiro, a ressalva fica por conta da rubrica de venda de atletas. O clube calculou arrecadar R$ 50 milhões até março, mas realizou R$ 18,5 milhões, sendo R$ 14 milhões em janeiro, R$ 4,3 milhões em fevereiro e mais R$ 87 mil em março.

Veja mais em Diretoria do Grêmio.

Veja mais

Comentários