Ir para o conteúdo principal

Ex-presidente do Grêmio, Paulo Odone fala sobre “pequeno inferno” que é a série B

Dirigente ainda falou sobre necessidades para montar o elenco para 2022

Edu Andrade / Grêmio FBPA

Presidente do Grêmio na batalha dos aflitos, em 2005, Paulo Odone falou sobre a experiência de vivenciar uma segunda divisão e garantiu que agora o Tricolor deve viver um “pequeno inferno”.

Segundo o ex-mandatário, em 2022 o Grêmio terá dificuldades pela quantidade de times com camisa pesada e tradição que estão na série B, como Vasco e Cruzeiro, por exemplo.

“Agora é diferente. Classificam quatro equipes, é toda de pontos corridos, não tem aquele quadrangular. Mas vai ser difícil, tem clubes com camisa, tradição, como Cruzeiro e Vasco, mas tem estádios pequenos, times que fazem uma guerra contra os grandes. A segunda divisão é um pequeno inferno. É preciso que todo o vestiário, do massagista ao treinador, tenha a consciência de que só com muita pegada e garra se consegue fazer um time vencedor”, Afirmou Odone em entrevista à Rádio Gaúcha.

O Grêmio vai passar por um processo de reformulação nas próximas semanas para adequar a equipe para a série B e Odone garantiu que, para retornar à elite do futebol, é preciso ter humildade.

“É preciso ter humildade. Às vezes, ter muito dinheiro atrapalha. Você começa a trazer peças, jogador da seleção de tal país, que não sabe o que é o Grêmio, não conhece a nossa grandeza. Em 2005, alguns jogadores não quiseram vir para o clube na segunda divisão. E que bom, porque era preciso ter atletas com vontade de jogar no Grêmio”, concluiu.

Veja mais em Diretoria do Grêmio.

Você pode gostar

Comentários