Ir para o conteúdo principal

Dirigente contraria Maicon e revela declaração do jogador durante saída do Grêmio

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Vice-presidente do Grêmio na temporada de 2021, tendo sido sucedido por Denis Abrahão, Marcos Herrmann reapareceu na imprensa nesta quinta-feira para rebater as recentes declarações do volante Maicon, que o apontou como responsável direto por sua saída do Grêmio no fim do ano passado.

+ Desanimado, Maicon, ex-Grêmio, anuncia aposentadoria do futebol

Herrmann, à mesma Rádio Gre-Nal, afirmou que a saída do jogador foi consensual e teve, antes, uma conversa com o seu empresário até com a possibilidade de recontratação em 2022.

“Gostaria de dizer que sou um fã incondicional do futebol do Maicon, um tremendo jogador de futebol. Um dos três melhores 5 que eu vi jogar no Grêmio, talvez o melhor. Gostaria de entender porque dessa entrevista. Por que a mudança da versão? O que está por trás disso? Penso que alguns interesses estão em jogo. Nada no clube é feito sem o consentimento do presidente”, disse Herrmann, antes de ampliar:

“Em uma conversa com o empresário, em comum acordo, chegamos a conclusão que seria legal, ele ter os últimos 3 meses do ano. E em 2022, quem sabe, dependendo das condições, o Grêmio o recontrataria. Eu só não entendi porque mudou a versão. Ele chorava copiosamente, as lágrimas rolavam pelo rosto. Depois da despedida, ele me deu um abraço e me disse: ‘Marcos, dizem que eu não gosto de ti, mas não é verdade, não acredita’. E eu disse que ia sentir saudade dele, que ele era o maior 5 que passou pelo clube”, alegou.

Após saída do Grêmio, Maicon critica presidente Romildo Bolzan

Maicon, que anunciou que não vai mais jogar profissionalmente, também deixou crítica ao presidente Romildo Bolzan além de Herrmann:

“Marcos Herrmann me demitiu. Me mandou embora sem nem olhar no meu olho. Falou somente com meu procurador, que me avisou. Ele passou por cima do presidente. Não tenho raiva, mas não quero contato. Nem ver mais. Ele poderia ter vindo falar comigo, dizendo que me demitiria e explicando os motivos, mas nem falou comigo. Não foi correto comigo e com a minha história”, disse o jogador.

Voltar para o topo