Ir para o conteúdo principal

Por que Felipão recusou as desculpas de Galvão Bueno e participação em documentário

Reprodução

Passados oito anos da histórica derrota da Seleção Brasileira para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014, o técnico Luiz Felipe Scolari, ex-Grêmio, ainda guarda mágoas das declarações feitas por Galvão Bueno. Tanto que o treinador se recusou a participar de um documentário sobre a carreira do locutor esportivo, que se aposentará ao final deste ano.

+ Últimas do Grêmio: Bruno Alves em 2023; público contra o Bahia e cirurgia de Jhonata Robert

Na época, em um editorial para o Jornal Nacional, publicado logo após a derrota para a seleção holandesa, na disputa pelo terceiro lugar da Copa do Mundo de 2014, Galvão afirmou que a participação desastrosa da seleção brasileira na competição foi “consequência de um trabalho que não deu certo”.

Sem citar nomes, Felipão externou seu descontentamento com Galvão Bueno em entrevista antes da Copa de 2018 para o também narrador André Henning, no antigo canal Esporte Interativo.

“Teve um colega seu, de TV, que passou dez minutos depois do jogo apontando para mim. Hoje eu não falo para esse senhor. Enquanto ele achar que é o todo-poderoso, um Deus, e que pode fazer aquilo que fez comigo, me jogando contra a torcida, eu fico aqui”, disse.

A assessoria de Felipão confirmou, ao “Notícias da TV”, a negativa do treinador e destacou que “cada um segue o seu caminho”. Galvão Bueno esperava se desculpar com Felipão no documentário.

Felipão busca terceiro título na Libertadores

Sob o comando do Athletico-PR, Felipão vai em busca de seu terceiro título na Libertadores, após conquistas com Grêmio e Palmeiras. A equipe paranaense enfrenta o Flamengo, no próximo dia 29 de outubro, no estádio Monumental de Guayaquil, no Equador.

Voltar para o topo