Ir para o conteúdo principal
Futfanatics Gremistas

Barcos dá a entender que não gostou de ter deixado o Grêmio em 2015: “Tive que ir”

Centroavante ainda é um dos maiores artilheiros da Arena.

Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Querido pela torcida do Grêmio, o centroavante Hernán Barcos deu a entender em entrevista ao jornal “AS”, do Peru, que não gostaria de ter deixado o clube em 2015, quando foi negociado com o Tianjin Teda, da China.

Barcos foi negociado pelo Grêmio no início da gestão do presidente Romildo Bolzan, que na ocasião trabalhava para reduzir os custos e tinha como objetivo se desfazer dos jogadores que recebiam altos salários.

“Quando cheguei ao Grêmio, onde estive dois anos, estava muito bem, muito tranquilo, eu era o capitão, e veio uma oferta da China que o clube não pôde recusar. O que faz? Você tem que ir, e assim por diante, muitas vezes. No Palmeiras mesmo, foi muito bom, mas o Grêmio chegou, colocou o dinheiro na mesa e eu tive que ir”, afirmou Barcos.

Entre 2013 e 2015, Barcos disputou 112 jogos pelo Grêmio e balançou as redes em 45 oportunidades. Com 28 gols, o centroavante argentino ainda é o 4º maior artilheiro da Arena do Grêmio.

Comentários