Ir para o conteúdo principal
Futfanatics

Maicon reafirma ter sido “mandado embora” do Grêmio: “Falei coisas que não gostaram”

Volante Maicon voltou a falar da sua saída conturbada do Grêmio

Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O volante Maicon voltou a dar bastidores da saída do Grêmio no segundo semestre do ano passado e confirmou ter sido “mandado embora” do clube. Ele ainda revelou ter tido alguns desentendimentos com a direção antes da saída ser confirmada faltando três meses para o fim do contrato.

“Na real, foi uma situação que na minha saída eu estava bem chateado pela maneira como foi. Eu tinha uma lesão que estava me atrapalhando bastante e as pessoas do clube sabiam. E sabiam o meu comprometimento lá, porque tinha vezes que eu chegava de manhã e saía à noite pra tentar ajudar. O time estava mal. Meus colegas falavam: ‘Pô, a gente precisa de ti, vamos jogar’. E eu ia. Mas me atrapalhava, porque eu voltava de lesão e já emendava, jogava machucado e agravava mais. Mas comigo não tem conversinha, os caras me mandaram embora. Debati situações que eu não concordava no momento do clube. E eu fui bem firme nas minhas colocações. Tinha sete anos de casa. Falei coisas que acabaram não gostando. Mesmo machucado, eu ia até o fim com o time”, declarou em entrevista à TV Bandeirantes, do Rio de Janeiro.

Para Maicon, o Grêmio teve uma dificuldade a mais para escapar do rebaixamento por não ser acostumado a disputar esse tipo de lugar na tabela:

“Eu cobrava, porque o nosso clube brigava sempre pra ser campeão. Sair da parte inferior da tabela é mais difícil. Grêmio não está acostumado com isso. Outros times disputam o campeonato pra escapar. Nós não. Eu cobrava. A gente acabou se desentendendo e acarretou na minha saída”.

Aos 36 anos, o volante pretende seguir jogando e se diz bem fisicamente, “zerado”, a partir dos treinos feitos no Rio de Janeiro ainda sem clube:

“Estou desde setembro sem jogar. Ano passado tive algumas lesões que me atrapalharam muito. Mas estou treinando todo dia, estou zerado, sem dor. Evoluí bastante. Quero jogar mais um pouco, tenho condições, estou aguardando aí. Pela idade, 36 anos, as pessoas começam a desconfiar. Mas estou bem. Se chegar pra jogar vou jogar, não tem jeito”, finalizou.

Você pode gostar

Comentários