Ir para o conteúdo principal

Candidato a presidência do Grêmio quer Rodrigo Caetano de executivo, mas lida com empecilho

Pedro Souza / Agência Galo / Atlético

Atualmente no Atlético-MG, Rodrigo Caetano foi procurado por Alberto Guerra, candidato a presidência do Grêmio, para assumir o cargo de diretor-executivo do clube em 2023 caso seja eleito. A informação foi antecipada pelo jornalista Thiago Fernandes, do site Goal Brasil.

+ Kannemann admite “condição” que pode facilitar a sua renovação com o Grêmio

Rodrigo Caetano, de passagem pelo Grêmio entre 2005 e 2008, comanda atualmente o futebol do Atlético-MG, onde conquistou os títulos da Copa do Brasil e do Brasileirão de 2021. O dirigente teria sido procurado nas últimas semanas por Alberto Guerra para retornar ao clube na próxima temporada e trabalhar na remontagem do elenco.

Ainda de acordo com o jornalista Thiago Fernandes, o principal empecilho é que Rodrigo Caetano tem contrato com o Atlético-MG até dezembro de 2026 e multa rescisória de aproximadamente R$ 3 milhões.

Um dos profissionais mais requisitados do Brasil para o cargo, Rodrigo Caetano deu início na carreira no Grêmio, entre as temporadas de 2005 e 2008. No período em que esteve no clube, foi campeão da Série B, vice-campeão brasileiro e vice-campeão da Libertadores.

Também candidato, Odorico Roman conversou com Alexandre Mattos, do Athletico

Assim como Alberto Guerra, Odorico Roman, também candidato à presidência do Grêmio, conversou com três possíveis nomes para o cargo de diretor-executivo do clube, em destaque o de Alexandre Mattos, de trabalhos vitoriosos em Cruzeiro e Palmeiras, e atualmente no Athletico-PR. Rui Costa, do São Paulo, e Anderson Barros, do Palmeiras, também foram procurados.

Dois dos principais candidatos à presdiência do Grêmio, Alberto Guerra e Odorico Roman planejam nomes de peso para o cargo em 2023.

Voltar para o topo