Ir para o conteúdo principal

Dirigente do Grêmio abre o jogo sobre Rochet e não descarta investida

Clive Mason / Getty Images

Um dos nomes que ainda aparece como constante especulação do Grêmio é o do goleiro Sergio Rochet, do Uruguai, que defende o Nacional e foi titular de sua Seleção na última Copa do Mundo. Mas, segundo o vice de futebol Paulo Caleffi, que concedeu entrevista ao canal Papo Copero, não se trata de uma negociação possível para agora.

+ Como o Grêmio mira quase R$ 100 milhões com venda de jogadores em 2023

Ele admitiu que os contatos ocorreram durante a campanha eleitoral, mas que, naquele momento, o empresário do jogador endureceu o tema. Caleffi também descartou o meia Vina, do Ceará:

Eu posso cravar que Rochet e Vina não vêm agora. Nesta janela. O futuro é outra conversa. O Vina foi oferecido em determinado momento, mas não prosperou o que era solicitado pelo staff dele. Os valores precisam ser condizentes com o que o Grêmio quer e não com que o atleta quer”, afirmou.

“Nós não temos negociação ativa com goleiros. O que há é uma sinalização de que na janela do meio do ano podem vir propostas por dois dos nossos goleiros. Então a gente analisa o mercado prevendo essa situação. Temos que ter respeito e cuidado com os ativos do nosso clube. Temos três goleiros trabalhando no dia a dia. Estão lá se esforçando diariamente. Tem vezes que as coisas não saem como nós queremos, mas a gente confia neles”.

Número limite de estrangeiros no Grêmio

Caleffi ainda lembrou que o Grêmio tem seis estrangeiros, sendo que só cinco podem jogar. Isso é mais um dificultador no caso Rochet:

“Durante a campanha foi levantada uma possibilidade do Sergio Rochet vir com os outros uruguaios. Ele iria fazer parte deste cenário, mas o empresário não quis tratar com quem não estivesse legitimado a abrir uma negociação. Hoje, pelo número de estrangeiros, complicaria”, terminou.

Voltar para o topo