Ir para o conteúdo principal

Como o Grêmio mira quase R$ 100 milhões com venda de jogadores em 2023

Lucas Uebel/Grêmio

Para aliviar os cofres e equilibrar a sua condição financeira, o Grêmio planeja arrecadar cerca de R$ 90 milhões apenas com a venda de jogadores em 2023. O clube vive momento conturbado quando o assunto são as finanças.

+ Mano Menezes quer Grêmio e Inter comprando e dividindo um avião

Em virtude da queda de receitas após o rebaixamento à Série B, o Grêmio tem passado por maus bocados, precisando recorrer a empréstimos bancários para manter uma condição razoável de funcionamento. A saída encontrada para solucionar o problema foi vender jogadores.

No momento, o Grêmio possui quatro atletas que estão na mira do futebol europeu e norte-americano, sendo eles: o goleiro Brenno, os volantes Villasanti e Bitello, e o meia Campaz.

Quanto a Brenno, a direção gremista aguarda por uma oferta no mês de março, podendo liberá-lo apenas em dezembro, ganhando tempo para buscar uma peça de reposição. Campaz desperta o interesse de clubes dos Estados Unidos e do México, assim como Villasanti – este também valorizado por ser titular da seleção paraguaia.

Grêmio sonha com venda de Bitello

Principal destaque do Grêmio neste início de temporada, ao lado de Luis Suárez, o agora meia Bitello é de longe o jogador mais valorizado do elenco do Grêmio. A direção gremista almeja uma oferta da Europa no valor de 8 milhões de euros, cerca de R$ 44,8 milhões, pelo jovem meio-campista.

Bitello iniciou 2023 da mesma forma que finalizou 2022: marcando gols e esbanjando bom futebol dentro de campo. No ano passado, disputou 48 partidas e marcou 10 gols entre Campeonato Gaúcho e Série B do Brasileirão.

Voltar para o topo