Ir para o conteúdo principal

‘Vamos fazer deste jogo uma guerra’, projeta presidente do Brasil sobre a final

Com um discurso forte e imensas críticas à arbitragem, o presidente do Brasil de Pelotas, Ricardo Fonseca, deu entrevista coletiva logo após a derrota para o Grêmio por 4×0, na Arena, na ida da final do Gauchão. E prometeu, para domingo que vem: "Faremos do jogo na nossa casa uma guerra".
[bn]50[/bn]
"Sabem que é difícil jogar lá embaixo. Fizeram de tudo para o Grêmio ganhar, para o caldeirão lá embaixo não ferver tanto. Já vou avisar, vai ferver igual. O Grêmio vai ter dificuldade lá no Bento Freitas. É muito difícil reverter, mas vamos fazer deste jogo uma guerra", destacou Fonseca.

As reclamações xavantes sobre a arbitragem de Anderson Daronco foram enormes durante e depois do jogo. Na saída para o intervalo, o zagueiro Heverton chegou a dizer que "o Daronco acabou com a partida" por conta da expulsão do lateral-direito Éder Sciola em falta em Luan. Clemer, indignado, se revoltou na coletiva de imprensa.

“Dentro daquilo que a gente tinha planejado, as coisas estavam acontecendo. Na verdade o Daronco estragou o jogo, estragou o espetáculo. Poderia ser outro jogo. Se tivessem as coisas iguais, tenho certeza que não ia acontecer (a goleada). Agora vamos tentar fazer o nosso jogo lá com dignidade. A gente sabe que é difícil reverter o resultado”, reclamou.
[bn]51[/bn]
A expulsão de Sciola, justa ou não, de fato, desarmou o Brasil. Com 10 homens, o Xavante foi presa fácil para o Grêmio no segundo tempo e foi goleado tamanha a intensidade tricolor. Com larga vantagem, o Grêmio tentará confirmar o título fora de casa no próximo domingo.

Voltar para o topo