Ir para o conteúdo principal

Para Douglas, Grêmio necessitará “saber sofrer” na segunda divisão: “Não dá pra jogar bonitinho”

Douglas atuou na Série B em 2014 pelo Vasco da Gama

Reprodução / GrêmioTV

Com a experiência de ter defendido o Vasco da Gama na Série B de 2014, o ex-meia Douglas avaliou nesta segunda-feira, em entrevista dada ao jornalista Duda Garbi, como deve ser a postura ideal do Grêmio para enfrentar a Série B de 2022.

Segundo ele, o mais importante vai ser “saber sofrer”, ignorando por vezes o “jogo bonitinho”:

“Tem que saber sofrer. Saber que os caras vão vir dando a vida. Será a chance deles jogando contra o Grêmio. Eles querem aparecer. Pode até golear um jogo ou outro, mas os caras vão vir pra dar a vida mesmo. Não dá pra só querer driblar, jogar bonitinho”, projetou.

Também presente na entrevista, o lateral Edilson, que subiu neste ano com o Avaí, atentou para gramados ruins e bola parada:

“Eu acho que a Série B é mais competitiva que a Série A, mas a Série A não dá margem para erro. Já a Série B dá um pouquinho de margem para erro. Por exemplo, na Série B o atacante rival pode ir cinco vezes na cara do gol e fazer só uma. Na Série A, pelo menos três ele vai fazer. A qualidade da Série A é acima. Esse ano o Brasil de Pelotas acabou caindo bem antes, mas normalmente é equilibrado. Você ganha três jogos e chega lá em cima. Os gramados são complicados. Tem muito campo ruim. O do Brusque, tá louco, parecia um brejo. Outra coisa que é fundamental é a bola parada, ainda mais nesses campos pequenos”, declarou.

Você pode gostar

Comentários