Ir para o conteúdo principal
Futfanatics

Direto de Brisbane, torcedor revela como é acompanhar o Grêmio

Ainda em 2015, o tricolor Felipe Vieira deixou o Brasil e levou na mala um misto de decepção e incerteza com relação ao Grêmio, que seguia na incômoda fila por novos grandes títulos. Natural de Caxias do Sul, ele foi pela última vez na Arena em uma vitória por 3×0 sobre o União Frederiquense, pelo Gauchão, e desde então vê do outro lado do mundo o tricolor empilhar conquistas.

A reportagem do Gremistas entrou em contato com este torcedor para saber como está sendo para ele, do outro lado do planeta, acompanhar a sequência vencedora do Grêmio, que já soma quatro títulos em menos de dois anos.

Gremistas: Como foi a saída do Brasil e o que você faz hoje na Austrália?
Felipe Vieira: Eu deixei o Brasil em 2015. Meu último jogo na Arena foi em 2015, pelo Gauchão, contra o União Frederiquense. Dois gols do Barcos e um do Everton Cebolinha, que na época ainda era um guri. Eu sou de Caxias do Sul e sou formado em Comércio Exterior, mas me mudei pra Brisbane, na Austrália. Inicialmente era mais para estudar o inglês, mas atualmente eu sou chef de cozinha por aqui.

G: Consegue acompanhar o Grêmio mesmo tão longe?
FV: Eu acompanho tudo relacionado ao Grêmio. Claro que eu já fui bem mais louco como torcedor, até porque a distância do Brasil dificulta um pouco essa parte. Mas tudo o que é possível eu acompanho. Se o Mundial do ano passado tivesse sido no Japão eu teria ido. 

G: A quebra do jejum veio na Copa do Brasil de 2016. Lembra como acompanhou?
FV: Sim, já era meu segundo ano aqui. Essa Copa do Brasil eu acompanhei praticamente ela inteira pelo rádio. Por aqui, praticamente todos os jogos acabam sendo de manhã. Na final contra o Atlético-MG, eu e uma gurizada nos reunimos em um bar que rola umas baladas e tem um telão. Foi a maior festa. Fizemos vídeos e até lives bem loucos cantando e comemorando.

G: E a Libertadores?
FV: Libertadores foi a mesma coisa! Assistimos no mesmo lugar. E depois, pra comemorar bem esse título, fizemos um churrasco e comemos uma carne com os outros brasileiros. O título foi demais e me rendeu uma aposta. Tinha apostado com meu pai que se ganhássemos eu iria raspar o cabelo. Tive que cumprir e fiquei careca.

G: O Grêmio é bem reconhecido na Austrália?
FV: Por aqui eu uso bastante a camisa do Grêmio, como dá pra perceber nas redes sociais. E tem muita gente que acha a camisa bonita e questiona o que significa. Os sul-americanos praticamente todos conhecem o Grêmio aqui. Alguns europeus reconhecem também. Tem muito gremista aqui. Em Brisbane tem um pessoal, mas em Sydney tem muito mais. Tem muito torcedor do Corinthians. Atlético-MG e Palmeiras são fortes também. Mas sem dúvida o Grêmio está entre os cinco brasileiros com mais torcedores aqui.



Veja mais em Sem categoria.

Comentários