Ir para o conteúdo principal
Futfanatics Gremistas

Matheus Henrique diz que foi “traído” por Everton na história da tapioca e lembra como virou volante no Grêmio

Volante gremista se divertiu contando histórias da carreira

Reprodução

Em sua primeira vez na Seleção Brasileira principal em 2019, Matheus Henrique acabou “traído” por Everton Cebolinha, que, durante a viagem a caminho da Singapura para o amistoso contra Senegal, viu o amigo volante confundir uma toalha de rosto com tapioca.

Nos dias seguintes, o atacante tratou de “caguetar” a história para os demais colegas convocados, e Matheus precisou se apresentar para todos na concentração contando a divertida cena.

“A culpa foi do Everton, que me caguetou. Era só eu e ele que sabíamos. Mais ninguém. Aí chegamos na Seleção e ele espalhou. Tive que contar naquela apresentação, no trote lá. Avião escuro, primeira vez na primeira classe e eu com a maior fome. Não falava a língua das aeromoças. Ele veio com um prato e um pegador. Era algo quente, botei na boca. Aí olhei pro lado e vi o Everton se secando. Cebolinha já era experiente, tinha viajado, sido campeão da Copa América antes”, contou novamente Matheusinho ao jornalista Duda Garbi.

Na mesma entrevista, o atual camisa 7 gremista contou como se transformou em volante com a camiseta gremista:

“Eu vim pra base do Grêmio do Grêmio ainda como atacante. Jogava como ponta ou 10. Aí em 2017 o nosso técnico era o César Bueno e ele precisava montar um time logo porque em 10 dias começava o Brasileirão sub-23. Fomos para um coletivo e nem ele conhecia todo mundo. Começou a perguntar quem era zagueiro, quem era atacante e vários levantaram a mão. Primeiro e segundo volante quase ninguém levantou, e eu me apresentei. Aí joguei, fui bem, fiz até gol e fiquei até hoje”, recordou.

Confira a entrevista:

Veja mais em Jogadores do Grêmio.

Comentários