Ir para o conteúdo principal

Presidente do Inter comenta as provocações do Grêmio

A cada título, uma nova provocação ao rival. Esse tem sido o lema do Grêmio, que está empilhando taças desde o final de 2016 e a cada comemoração manda o já famoso "um minuto de silêncio… para o Inter que está morto".
[bn]50[/bn]
Em entrevista concedida ao quadro Saia de Redação, do GaúchaZH, o presidente colorado Marcelo Medeiros deu a sua visão sobre o tema e evitou aumentar a polêmica.

"Eu acho que a flauta é do jogo. É legal, faz parte. Fazia muito tempo que o Grêmio não tinha um período assim de tantas conquistas. Pra nós é legal que a gente esteja no imaginário deles depois de 15 anos sem conquistas. Quando fica na esfera do torcedor e dos jogadores, tudo bem. Quando é oficial eu acho que já fica um pouco mais complicado", avaliou Medeiros.

Na quarta-feira, o goleiro colorado Marcelo Lomba também abordou o assunto e disse que o Inter também poderá devolver as "gozações" em um futuro. “Eu não sou muito adepto das provocações, não. E o mundo gira muito rápido. Mas eu também entendo, o futebol não pode ser tão sério assim. Querem brincar… daqui a pouco pode ter outro Gre-Nal e se a gente vencer vai ter o direito de brincar também. Que isso nunca se reflita em violência e a gente tenha sempre serenidade”, pediu.
[bn]51[/bn]
No ano, o Grêmio tem levado a melhor nos clássicos e eliminou o rival nas quartas do Gauchão. O próximo Gre-Nal será no dia 12 de maio, na Arena, pelo Brasileirão.

Voltar para o topo